| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Conexão Ciência
Desde: 15/04/2004      Publicadas: 835      Atualização: 20/11/2011

Capa |  Agenda  |  Editorial  |  Entrevista  |  Estante  |  Expediente  |  Notas  |  Notícias  |  Reportagem  |  Reportagem Especial  |  Reportagem Especial


 Entrevista

  13/04/2008
  0 comentário(s)


Em busca de uma produção de café de qualidade

Através da análise de diversas variedades de café cultivadas no Paraná, projeto busca identificar propriedades e produzir grão diferenciado

Em busca de uma produção de café de qualidade
Reportagem: Bruna de Lima Silva
Edição: Beatriz Assumpção


O Paraná, durante toda a história de sua formação, obteve destaque como um dos maiores produtores de café do mundo. Porém, desde a geada de 1975, a produção cafeeira do estado aos poucos foi perdendo espaço, e com a menor valorização do produto, é preciso buscar novas alternativas para a produção do café. Com o objetivo de analisar a qualidade das diferentes variedades do produto na região e assim poder desenvolver um café diferenciado, a professora graduada em Farmácia e Bioquímica pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e mestra em Ciência dos Alimentos pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) Maria Brígida dos Santos Scholz participa de um programa de doutorado, onde desenvolve o projeto de pesquisa "Estudo da região cafeeira do Paraná: uma abordagem multivariada da qualidade". O Estudo, que é orientado pelo professor Rui Sérgio dos Santos Ferreira, graduado em Engenharia Química pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e Doutor em Ciência de Alimentos pela Unicamp, teve início em agosto de 2003 e faz parte da tese de doutorado da professora Maria Brígida.

Conexão Ciência: Quais variedades de café estão sendo estudadas no projeto?

Maria Brígida:
As variedades predominantes de café estudadas são o Catuaí, o Mundo Novo e o IAPAR 59, mas também estão sendo estudadas outras categorias de café, como o Tupi e o Ubatã.

ConCiência: Quais municípios do Estado o estudo abrange?

Maria Brígida:
O estudo abrange todos os municípios do Estado do Paraná onde são cultivadas as diversas variedades do café. No total, são cerca de 18 municípios estudados.

ConCiência: Existe alguma característica específica que defina a boa qualidade do café?

Maria Brígida:
Não existe uma característica específica. A qualidade do café é baseada num conjunto de características, e cada região onde o produto é cultivado possui um conjunto específico.

ConCiência: Quais fatores podem influenciar na qualidade do café?

Maria Brígida:
Sem dúvida a principal influência na qualidade do produto são as condições climáticas nas quais ele é cultivado. Também podem influenciar, a qualidade do grão o processo de preparo entre a colheita e a secagem do produto.

ConCiência: Como é feita a avaliação da qualidade do produto?

Maria Brígida:
A avaliação do café depende em que ponto da cadeia de produção você está. Se vai comercializar o café beneficiado, chamado de grão verde, a avaliação consiste em contar os defeitos, medir o tamanho dos grãos e provar a bebida para classificá-la. Quando você avalia a qualidade do café comercializado como torrado são identificadas qualidades como aroma, acidez, corpo, e adstringência, por provadores treinados.

ConCiência: Variedades de café diferentes precisam ser submetidas a processos de produção específicas? Por quê?

Maria Brígida:
As variedades têm basicamente o mesmo tratamento para plantio, mas podem necessitar de tratos diferenciados dependendo de sua resistência a doenças, como a ferrugem: aquelas que não são resistentes necessitam de aplicação de fungicidas. Também é preciso atenção a adaptação das variedades as condições climáticas, por que algumas se adaptam melhor a climas mais quentes que outras. Cada local precisa de uma variedade adequada.

ConCiência: Quais seriam as mudanças viáveis ao café para melhorar a qualidade do produto final?

Maria Brígida:
O produtor deve seguir sempre a orientação técnica para produção, colheita e secagem para alcançar uma alta produtividade e café de boa qualidade. Mas principalmente deve conhecer a o café que está plantando. Essa talvez seja a maior mudança na atitude do produtor que pode resultar em maiores benefícios para o produtor.

Imagem:http://atuleirus.weblog.com.pt/arquivo/2005/09/investigacao_ca.html



  Mais notícias da seção Alimentos no caderno Entrevista
27/08/2007 - Alimentos - Viticultura Paranaense
Pesquisador do IAPAR fala um pouco a respeito do cultivo de uvas no Paraná...



Capa |  Agenda  |  Editorial  |  Entrevista  |  Estante  |  Expediente  |  Notas  |  Notícias  |  Reportagem  |  Reportagem Especial  |  Reportagem Especial
Busca em

  
835 Notícias


Notícias
 

Projetos

 

Projeto do Departamento de Design reúne moda, sustentabilidade e inclusão social


Notas
 

Divulgação Científica

 

Instituto do Câncer lança programa de prevenção no Twitter


Agenda
 

Agenda

 

Agenda


Editorial
 

Editorial

 

Casa Própria, Pedagogia e Anestésicos


Expediente
 

Expediente

 

Quem trabalha no Conexão Ciência