| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Conexão Ciência
Desde: 15/04/2004      Publicadas: 835      Atualização: 20/11/2011

Capa |  Agenda  |  Editorial  |  Entrevista  |  Estante  |  Expediente  |  Notas  |  Notícias  |  Reportagem  |  Reportagem Especial  |  Reportagem Especial


 Notas

  25/05/2008
  0 comentário(s)


Grávidas atuais: mais desejos alimentares

Thaís Yamanari
Fonte: BBC Brasil


Uma pesquisa realizada no Reino Unido sugere que as grávidas de hoje sentem mais desejos alimentares do que há algumas décadas. A pesquisa do site gurgle.com, especializado em maternidade, revelou que 75% das grávidas entrevistadas sentem desejos súbitos por comida, segundo o site, há 50 anos, o percentual era de apenas 30%. Entre as vontades, estão coisas estranhas como gelo, carvão, pasta de dentes, sabão, entre outros. Mas os doces como chocolate e sorvete também despertaram os desejos de muitas grávidas. Além disso, a pesquisa indica que apenas 8% das entrevistadas disseram sentir desejos durante a madrugada, uma vez que as vontades são mais freqüentes no período da tarde e da noite. A nutricionista da Universidade de Sheffield, Fiona Ford, acredita que essa diferença entre as grávidas atuais e as de antigamente, deve-se ao fato da maior disponibilidade dos alimentos. Fiona Ford ressaltou que as provas científicas são poucas para apoiar a teoria de que desejos alimentares incomuns estão relacionados com uma possível deficiência nutritiva no corpo da mulher.



  Mais notícias da seção Saúde no caderno Notas



Capa |  Agenda  |  Editorial  |  Entrevista  |  Estante  |  Expediente  |  Notas  |  Notícias  |  Reportagem  |  Reportagem Especial  |  Reportagem Especial
Busca em

  
835 Notícias


Entrevista
 

Saúde

 

Conheça as vantagens e desvantagens do parto normal e da cesárea


Notícias
 

Projetos

 

Projeto do Departamento de Design reúne moda, sustentabilidade e inclusão social


Editorial
 

Editorial

 

Casa Própria, Pedagogia e Anestésicos


Agenda
 

Agenda

 

Agenda


Expediente
 

Expediente

 

Quem trabalha no Conexão Ciência