| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Conexão Ciência
Desde: 15/04/2004      Publicadas: 835      Atualização: 20/11/2011

Capa |  Agenda  |  Editorial  |  Entrevista  |  Estante  |  Expediente  |  Notas  |  Notícias  |  Reportagem  |  Reportagem Especial  |  Reportagem Especial


 Notícias

  10/05/2008
  0 comentário(s)


A Fotografia como um meio de denúncia social

Professor do CECA realiza projeto sobre a trajetória do fotodocumentarismo no mundo

A Fotografia como um meio de denúncia socialPauta e Edição: Pauline Almeida
Reportagem: Tatiane Hirata


"Se as fotografias não são suficientemente boas, é porque não se está suficientemente perto". É com essa máxima que o fotógrafo de guerra Robert Capa, morto em combate, representa a essência do fotojornalismo, sendo um trabalho de denúncia social no qual se destacam outros importantes nomes, como o pioneiro Lewis Hine (nascido em 1874), Cartier-Bresson (1908), da era moderna, e o contemporâneo Sebastião Salgado (1944), ícone brasileiro.

A Guerra de Secessão (1861-1865) é o mais antigo exemplo da prática desse trabalho, pela primeira vez fotógrafos eram enviados para cobrir a guerra. A partir daí, conflitos bélicos ocorridos nos séculos XIX e XX nortearam os caminhos da fotografia como reportagem. Na guerra da Criméia, registrada por Roger Fenton, imagens retratavam soldados sorridentes fora do campo de batalha, feridos e cadáveres. Em função do choque de levar a figura da guerra às casas que não conviviam com essa realidade, nasciam também indícios da censura prévia, como afirma Paulo Boni, doutor pela Universidade de São Paulo e professor do departamento de comunicação da Universidade Estadual de Londrina.

Apenas quando a fotografia se desvincula do texto e passa a contar a história por si mesma é que caracteriza a reportagem fotográfica. Há também o que chamamos de fotodocumentarismo, algo distinto do fotojornalismo e que se pauta com o intuito de levar ao público a informação e utilizá-la para formar mentes e corações. É sobre esses conceitos que trabalha Paulo César Boni, em projeto sobre a trajetória do fotodocumentarismo que encabeça desde 2006 pela Universidade Estadual de Londrina com o intuito de levantar, organizar, sistematizar e disponibilizar a história dessa prática de denúncia social.

O projeto tem por base dois pólos do contexto que o tematiza, duas personalidades tomadas como marco da história do fotodocumentário: os já citados Lewis Hine e Sebastião Salgado. Hine, o fotógrafo que não se conformava com o trabalho infantil, era norte-americano e sociólogo. Dedicou-se à fotografia expondo à opinião pública as péssimas condições reinantes, trabalho que culminou na aprovação da Lei de Trabalho Infantil, introduzindo o que ficou conhecido como Fotografia Documental. Sebastião Salgado, brasileiro, é formado em economia, trabalhou na Organização Internacional do Café em 1973 e se tornou fotógrafo após uma viagem à África levando emprestada a câmera fotográfica de sua esposa. Para o coordenador do projeto Paulo Boni "o contemporâneo é na verdade quem retoma o trabalho do pioneiro, cuja essência foi perdida ao longo dos anos e deixada de lado por profissionais como Cartier-Bresson e Robert Capa, que tinham a fotografia como um produto acabado, fruto da imprevisibilidade. No trabalho de Hine e Salgado, a foto tirada não é o fim do trabalho. É o meio. Um meio pelo qual fazer a denúncia social e expor à opinião pública a realidade que não se vê". O trabalho de ambos se caracteriza por pautar a fotografia e pré-estabelecer o que se quer mostrar antes de realizá-la.

Boni diz também do aspecto inovador da pesquisa, que pretende incluir na trajetória do fotodocumentarismo nomes brasileiros menos conhecidos, que encabeçam trabalhos interessantes como os de Ricardo Azury, José Roberto Ripper, Cláudia Anduja, Emídio Luisi e Rosa Galdetano. Este ano, o projeto conta com a participação das estudantes do curso de jornalismo da UEL, Luiza Calegari (2ºano) e Amanda Zakarquim (4ºano).

A conclusão do projeto é prevista para o fim de 2008, mas a publicação do livro sobre a história do fotojornalismo, objetivo do trabalho encaminhado já há dois anos, será efetivada provavelmente apenas no final de 2009. "A intenção é premeditada. A manifestação é espontânea". Esta é a visão de Paulo César Boni, que vai estar em seu livro O Discurso Fotográfico: A Intencionalidade da Comunicação no Fotojornalismo, sobre a fotografia de reportagem.

Legenda da foto: Fotografia de Sebastião Salgado de Hong Kong
Créditos da foto: Sebastião Salgado

Ano 5 - Edição 37 -10/05/2008



  Mais notícias da seção Comunicação no caderno Notícias
25/04/2010 - Comunicação - Argumentação na publicidade e na mídia impressa
Projeto analisa os recursos linguísticos utilizados em textos argumentativos...
03/12/2007 - Comunicação - Uel ajuda a Anvisa na monitoração de propagandas
Equipe multidisciplinar de alunos participa de projeto nacional da Agência Nacional de Vigilância Sanitária...



Capa |  Agenda  |  Editorial  |  Entrevista  |  Estante  |  Expediente  |  Notas  |  Notícias  |  Reportagem  |  Reportagem Especial  |  Reportagem Especial
Busca em

  
835 Notícias


Editorial
 

Editorial

 

Casa Própria, Pedagogia e Anestésicos


Reportagem
 

Projetos

 

Docente apresenta meios alternativos para solucionar conflitos judiciários


Entrevista
 

Saúde

 

Conheça as vantagens e desvantagens do parto normal e da cesárea


Notas
 

Divulgação Científica

 

Instituto do Câncer lança programa de prevenção no Twitter


Agenda
 

Agenda

 

Agenda


Expediente
 

Expediente

 

Quem trabalha no Conexão Ciência