| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Conexão Ciência
Desde: 15/04/2004      Publicadas: 835      Atualização: 20/11/2011

Capa |  Agenda  |  Editorial  |  Entrevista  |  Estante  |  Expediente  |  Notas  |  Notícias  |  Reportagem  |  Reportagem Especial  |  Reportagem Especial


 Notícias

  20/06/2010
  0 comentário(s)


Funk e suas transformações sob uma análise histórica

Projeto do departamento de História da UEL
analisa historicamente o funk, suas
características e a forma como é visto no Brasil

Funk e suas transformações sob uma análise histórica
Edição: Fernanda Cavassana
Pauta: Edson Vitoretti
Reportagem: Isabella Sanches



Entender o funk por um referencial histórico, deixando de lado uma análise puramente sociológica e
antropológica é o que busca a professora Silvia Cristina Martins de Souza, no projeto "Expressões
do Funk". O projeto busca entender a história do funk a partir de várias questões como, por exemplo,
a forma como desde a década de 60 e 70 o movimento negro e outras manifestações culturais vêm
sendo incorporados no Brasil. Um desses movimentos é o funk.

Silvia Cristina de Souza possui graduação em História pela Universidade Santa Úrsula, mestrado e
doutorado em História pela Universidade Estadual de Campinas, e pós doutoramento pela
Universidade Federal Fluminense. Atualmente é professora associada da UEL. Segundo a docente,
o projeto é um trabalho orientado por ela que surgiu devido à observação de que o funk era muito
trabalhado por sociólogos e antropólogos, mas não por historiadores.

A coordenadora do projeto destaca a capacidade do funk de criar uma identidade entre as pessoas.
"Mesmo com todos os problemas que o funk tem, ele acaba criando um espaço de identidade para
a juventude que vive basicamente nas favelas e nos subúrbios." Ela diz não saber até onde a
pesquisa vai conseguir chegar, mas que pretende analisar até os dias de hoje, onde há a
associação dos bailes funk com a urgia, a violência e a sensualidade. No momento, o trabalho está
focado nas décadas de 60 e 70. "Nos concentramos nessas décadas, na emergência do funk fora
do país e como ele vai ser apropriado no Brasil", explica.

Segundo a professora, o funk nasce em um momento de efervescência: das lutas pela libertação
na África, dos movimentos feministas e gays, entre outros. Quando esse movimento musical chega
ao Brasil, ele chega com uma característica mais dançante. "Nessa época ele era visto mais como
um tipo de música dançante, que já possuía um elemento de sensualidade." Silvia destaca ainda
que as músicas ouvidas nessa época eram vindas de fora. "O que se ouvia eram os funks vindos
de fora do país que as pessoas dançavam independente de entender o que dizia as letras, que já
nessa época possuíam uma característica de protesto", explica.

De acordo com a docente, é a partir da década de 80 que se passa a ter um tipo de funk que
podemos chamar de brasileiro e que começa a ser mais veiculado pela mídia. Segundo Silvia, na
década seguinte esse movimento musical vive seu auge. "É na década de 90 que o funk atinge o
seu auge e é interessante analisar as letras que passam a ser produzidas. Por mais que as
músicas tenham um duplo sentido, que para algumas pessoas parece muito agressivo, ela
também tem uma lição de moral, que é a moral de cada comunidade", ressalta.

A professora lembra que primeiramente o funk não possuía uma associação ao tráfico e violência, e
que nesse sentido o arrastão ocorrido na praia do Rio de Janeiro em 1992 foi emblemático. "O
arrastão foi associado às galeras funkeras que estavam supostamente descendo o morro para
atacar a classe média no espaço público da praia. A partir desse momento, começou-se a associar
o funk com a ideia de morro, tráfico e violência." Segundo Silvia Cristina de Souza, com essa
associação, começou um período de maior repressão e de cobrança para que o funk ficasse no
subúrbio e no morro e não descesse à cidade. Essa cobrança teve seu ápice nos anos 90 e com o
tempo, foi amainando.

A professora menciona que o projeto busca analisar a expressão do funk a partir de uma
perspectiva de culturas. "Buscamos trabalhar com o hibridismo de cultura, com culturas que
dialogam, sem fazer a separação exterior entre cultura erudita e cultura de massa, que não dá conta
de explicar, por exemplo, como existem bailes funk também na Zona Sul", afirma.

Por meio do projeto, Silva Cristina de Souza diz que "ficou clara a capacidade desse movimento
musical em agregar pessoas em várias comunidades, várias galeras. É um espaço que dá voz
para aquelas pessoas que vivem marginalizados, ou seja, que vivem excluídas da sociedade. O
funk pensa a juventude negra que é colocada às margens da comunidade e como essa juventude
dialoga com isso." A doutora ressalta que hoje as letras não possuem o caráter político explícito da
década de 60 e 70, mas que "agora esse protesto é feito em relação à política do cotidiano".

Créditos da Imagem: Divlugação DJ MArlboro



  Mais notícias da seção Projetos no caderno Notícias
22/05/2011 - Projetos - Projeto do Departamento de Design reúne moda, sustentabilidade e inclusão social
Oficina de moda, que em 2011 terá sua 2ª edição, reaproveita resíduos que gerariam impacto ecológico e auxilia participantes socioeconomicamente...
18/10/2010 - Projetos - Pesquisa propõe novos métodos de ensino da educação física nas escolas
Projeto do Departamento de Estudo do Movimento Humano da UEL procura novas maneiras para lecionar a disciplina de educação física nas escolas...
09/08/2010 - Projetos - Cafeína melhora desempenho de ciclistas
Pesquisa do Centro de Educação Física e Esporte da UEL analisa efeitos da substância em ciclistas ...
20/06/2010 - Projetos - Uma vida melhor por meio do Esporte
Parceria entre o Centro de Educação Física e Esporte da UEL e o Hospital Universitário faz diferença na vida de pessoas vítimas de paraplegia por lesão medular...
28/03/2010 - Projetos - Ginástica como parte do currículo escolar
Estudo busca organizar os conteúdos da ginástica, para que essa possa ser conhecida pelos alunos da educação básica...
07/06/2008 - Projetos - A teledramaturgia como processo auxiliar da literatura
Projeto acadêmico ensina produção textual por meio de análises de novela ...
18/05/2008 - Projetos - Métodos de educar filhos cegos é tema de projeto da UEL
Saiba as maneiras mais eficientes de educar e sociabilizar filhos portadores de deficiência visual...
26/04/2008 - Projetos - Pesquisa tenta diminuir os efeitos nocivos do chorume
Tudo o que utilizamos em nossas casas contribui à formação de um líquido viscoso altamente poluente...
05/04/2008 - Projetos - Estudos mostram a importância do Calçadão para Londrina
Cartão-postal da cidade é objeto de estudo de projeto de pesquisa do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da UEL...
27/08/2007 - Projetos - Programa Casa Fácil é laboratório para universitários
Situações práticas são vivenciadas por estudantes de engenharia e de arquitetura e urbanismo num programa que atende população de baixa renda de Londrina ...
01/07/2007 - Projetos - O corpo humano em 3 Dimensões
Software desenvolvido na UEL busca aperfeiçoamento para facilitar o estudo do aparelho locomotor humano...



Capa |  Agenda  |  Editorial  |  Entrevista  |  Estante  |  Expediente  |  Notas  |  Notícias  |  Reportagem  |  Reportagem Especial  |  Reportagem Especial
Busca em

  
835 Notícias


Editorial
 

Editorial

 

Casa Própria, Pedagogia e Anestésicos


Reportagem
 

Projetos

 

Docente apresenta meios alternativos para solucionar conflitos judiciários


Entrevista
 

Saúde

 

Conheça as vantagens e desvantagens do parto normal e da cesárea


Notas
 

Divulgação Científica

 

Instituto do Câncer lança programa de prevenção no Twitter


Agenda
 

Agenda

 

Agenda


Expediente
 

Expediente

 

Quem trabalha no Conexão Ciência